quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Ensaio sobre a asneira

“Ensaio sobre a cegueira, novo filme do diretor Fernando Meirelles, continua causando polêmica. Mesmo depois de ter diminuído a violência das cenas mais fortes, o cineasta brasileiro vai enfrentar a ira de um grupo de deficientes visuais, agora que o longa está prestes a estrear nos cinemas dos Estados Unidos.”
"O filme mostra os cegos como monstros e eu acho que isso é uma mentira", disse Marc Maurer, presidente da Federação Nacional dos Cegos, baseada em Baltimore. "A cegueira não transforma as pessoas decentes em monstros."

Notícia tirada daqui.


Então, os ceguinhos se revoltaram devido ao filme os retratar como monstros? Eles só falam isso porque não viram o filme. Eu também não vi, e nem cego sou (não mais, o guaraná Jesus me curou). Será que a industria cinematográfica américa está tão avançada que já existem multiplex em braile?
Enfim, parece que na película existem pessoas cegas colocadas em quarentena em um asilo, atacando-se umas às outras, trocando sexo por comida. Eu pergunto: e daí? Já troquei sexo por dinheiro, figurinhas do Campeonato Brasileiro e bolinhas de gude. Também já realizei escambo com minha comida, principalmente no primário com os garotos mais velhos para não ser surrado.
Só pra não dizer que não sei terminar o texto, posso dizer que aqueles que não tem colírio usam óculos escuros, e o pior cego é o que não viu o filme, ou não entendeu a metáfora. E chega de trocadilho sem graça por hoje.



-------------------------------------------------------------------------------------------------



Aguardem, em breve, um novo blog que vai ser o fim do mundo.

7 comentários:

Sheiná disse...

Eiii! Que bom que vc voltou à ativa!
Sempre vinha aqui e nada..........
A fábrica continua na barra de favoritos, hein! =)
Beijocasssss

Amigao disse...

Também nao vi o filme e nem sou cego. To esperando ganhar uns ingressos.
Mas,este negocio dos cegos protestarem é meio estranho, como alguém pode falar mau de uma coisa que não viu?

Aline Araújo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

não vi o filme, não sou cega. por favor me avisa quando o fim do mundo chegar, quero estar bem vestida para encontrar meus bisavós.

beijo.

Cruela disse...

engraçado, eu disse a mesma coisa: como eles sabem que o filme é assim se eles não viram?

Mania que o povo tem de pedir clemência onde não há. Li o livro (que nunca reli por achar muito forte) e achei que o diretor traduziu com humanidade (e pode acreditar que o filme é humano) a bagaceira do livro.

Qual a novidade em ver que somos porcos entre porcos?

Sem contar que não tinha nenhum cego ali (só um véio trambiqueiro), no mais eram pessoas que deixaram de enxergar de uma hora para outra. Só isso.

Odeio gente aparecida, odeio.

Franco disse...

estou sem idéias por causa da crise econômica..

Cruela disse...

olá.
posso postar seu texto lá no Calcinhas no Box?

www.calcinhasnobox.blogspot.com

Roberta Trindade disse...

kkkkkkkkkkkk

Num güento... voltei para ver se tinha alguma atualização e por acaso vim parar nesse tópico...

Curiosa, porque ganhei o livro do José Saramago de presente de amigo oculto, resolvi parar par ler (apesar de saber que curiosidade não mata)...

Ainda não li nem a capa (confesso que fiquei pensando se rasgaria a embalagem ou aproveitaria o livro para presentar alguém hahaha), e tampouco vi o filme, mas ficou muito bom o seu textinho... "Ensaio sobre a asneira"... Muito bom!! hahaha