quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O estagiário e o assalto

Oi gente, meu nome é Cleodécio, sou estagiário aqui da Fábrica e peguei emprestado o computador do chefe para postar no blog dele. Então, eu poderia dizer que ele é um filho da puta, pão duro, desalmado, psicopata e péssimo cozinheiro, mas o chamarei de "chefinho querido". Bem, como todos sabem, preciso doar uma parte de minha ajuda de custo para continuar a ganhar experiência trabalhando aqui. Algo como uns 120% do que recebo. Pouco em relação ao mercado, não acham? E ainda fico na net depois de 36 horas de expediente. Ótimo. Mas vocês sabem, as coisas tão caras, e preciso tirar um "por fora".

Então, resolvi virar assaltante, não sem antes pensar muito nas outras opções criminosas. Traficante não ia dar, não conseguiria trocar tiro com polícia, nem ficar o dia inteiro sem camisa na laje, ia descascar todo. Não posso vender DVD pirata, o rapa ia chegar e me meter a porrada. Menos ainda vender ecstasy em rave, pois a aquela música(sic) tem um efeito pior que qualquer droga. Então, resolvi roubar umas velhinhas. Um serviço rápido, limpo e sem remorso.

A vítima deveria ser cuidadosamente escolhida. Não poderia ser uma dessas que fazem ginástica, são muito espevitadas. Elas possuem uma grande disposição para dar bolsadas em marginais. Pensei em uma que passava de bengala. Não, se ela levanta aquele troço a lei da gravidade estaria à favor da furiosa anciã. Newton bem sabe disso. A escolha era muito difícil, pensei até na minha vizinha de 80 anos, mas ela corre na Maratona do Rio, e eu nunca conseguiria abrir uma distância considerável para dizer escapei. Outras com andador também não eram boas escolhas, pelo mesmo motivo da bengala. Aquilo é alumínio, cara.

Porém, achei uma que tinha potencial. Não era apenas velha, mas cega. Não era apenas cega, mas estava de cadeira de rodas. E com aquele motorzinho. Ok, o motor é bem rápido, mas eu tinha um plano. Eu ia fingir que era o ajudante dela, e jogaria água sanitária no motor. Você pergunta: "como você acharia uma janela de tempo para fingir ser o ajudante da velha anciã na cadeira de rodas motorizada para assaltá-la?". E eu respondo: no momento em que o ajudante estivesse esvaziando o saco de colostomia da véia, pois ele ainda vomitaria bastante de nojo daquilo. Eu sou um gênio.

Mas Lady Murphy estava no caminho de meu plano infalíve. E o plano falhou. Até o momento da água sanitária, tudo ia bem, mas quando segurei a bolsa da digna senhora ela tocou nas rodas da cadeira, que abriu um compartimento de onde ela tirou dois nunchakus com os quais incomodamente insistia em bater em minha frágil cabeça. Depois puxou uma corda que estava amarrada nos pés que foi diretamente em meu olho direito, deixando-o roxo. Consegui me levantar e saí correndo, aproveitando a água sanitária no motor.

Cheguei esbaforido no trabalho, com o supercílio sangrando, o olho rocho, descabelado e rasgado. E sem dinheiro. Mas falei para meu chefe Marcelo que fui assaltado por cinco meliantes, e ele me perdoou, não sem antes triplicar minha carga horária.

Moral da história: sempre dou lugar a velhinhas em meios de transporte público. Nunca se sabe do que elas são capazes.

12 comentários:

Anna Carolina disse...

uhauahuahuahauahuhauhau
adoreiiiiiiiiii

mas eu n dou meu ligar p velhinhas... elas sempre axam q são jovens demais e q n precisamd esse tipo de caridade....

Cafeína disse...

velhinhas e crianças são assustadores! Já tentou assaltar apresentador famoso da TV? Dizem que é legal...

Arne Balbinotti disse...

Hilário mesmo, tomará que agora e apenas fique com o bom e velho trabalho honesto... hahaha...

NANA disse...

A Fábrica tem um método de incentivo ao funcionário exemplar.
Bjs.!

Niquinha disse...

Já disse, vamos assaltar os beubos uhauhauhuahuah

Ulisses disse...

Parece o Inspetor Clouseau do crime. Me lembrei de um episódio do Seinfeld que ele pega a bolsa de uma velhinha tb e sai correndo, muito engraçado.

Juliana Freitas disse...

fiquei com preguiça de ler, mas se eu disser que eu tô com saudade de falar merda com vc no msn e prometer voltar pra ler amanhã, eu tô perdoada?

Juliana Freitas disse...

é que tem muito texto nesse blog!!!

Liipe Coura disse...

hsuahshahusa Zifudeeu :B
Muito legal, será que a véia antigamente fazia ninjitsu?

Liipe Coura disse...

hsuahshahusa Zifudeeu :B
Muito legal, será que a véia antigamente fazia ninjitsu?

Juliana Freitas disse...

Água sanitária? A normalzinha não servia não??? É que não entendo o que acontece com as coisas depois que a gente aperta o botão!

Amigao disse...

Seu estágiario de bosta, monta um blog pra vc que tu escreve bem melhor que o patrão.